Onde fã ativo detona bloqueio criativo!

4 Dicas de Design de Embalagens Ecologicamente Amigáveis

439

O especialista em embalagens da grande Charlotte Packaging, Joe Hickman, compartilhou 4 princípios básicos que devem nortear todo design de embalagem.

Todos simples e fáceis de aplicar, mas que muitos insistem em ignorar – ou pior que isso: simplesmente desconhecem, como se a questão ambiental pouco importasse.

Porém, é fato que o meio-ambiente sofre muito com nossos dejetos e, o pior é que toneladas de dejetos já eram inúteis antes mesmo do descarte!

A sua casa provavelmente está cheia deles já que o mercado de design de embalagem os tem como padrão; por isso hoje mostraremos como você pode fazer a diferença!

Simplesmente não embale [1]

A primeira coisa que você deve fazer é se perguntar se seu produto realmente precisa ser embalado, pois caso contrário, você terá duas vantagens muito claras:

  • Você vai causar menos poluição;
  • E vai reduzir custos de produção!

Um exemplo disso seria uma caixa de chá que me assombrava, e embora eu não tenha imagens dela, aqui vai um exemplo similar:

Note que há uma grande embalagem (a caixa) com dezenas de sub-embalagens, e cada uma dessas traz uma terceira (aquele saquinho furado de chá que você já conhece).

No caso acima, é possível argumentar que “é porque são sabores diferentes”, né? Só que esse problema também é recorrente em caixas de um único sabor!

Infelizmente, essas sub-embalagens existem apenas para embelezar o produto – e eu digo isso com autoridade, pois já consumi chás armazenados de diversas maneiras e nunca notei qualquer diferença de sabor.

“Ah, mas meu chefe quer mesmo é um conjunto bem bonito para vender!” Eu entendo teu drama, mas hoje em dia já é possível fazer excelentes designs sem necessariamente agredir o meio-ambiente.

Além disso, ser ecológico está cada vez mais na moda, logo um pouquinho de Branding pode deixar qualquer design, entre aspas, “inferior” igualmente atraente!

Os 3 passos do não-embalo

Agora que você percebeu que há embalagens inúteis, vamos analisar os três tipos de embalagens e como lidar com elas:

• Embalagem Primária  Aquela que o consumidor compra no PDV.

Você pode deixá-la menor, ou pelo menos utilizar materiais recicláveis e menos nocivos ao meio-ambiente.

• Embalagem Secundária – Aquela dentro da Primária.

Será que é realmente necessário criar dezenas de sub-caixinhas/saquinhos? Na maior parte dos casos, você notará que não.*

• Embalagem Terciária – Aquela usada no transporte bruto (como no caminhão).

Essas caixas que vão em caminhão não servem para nada se não transporte e identificação para a galera do estoque, logo você pode simplificá-las ao extremo!

Nova caixa Tetra Pak Top tem 82% de reciclagem! 2
Nova caixa Tetra Pak Top 82% reciclável (clique e saiba mais)

* A embalagens secundária perdoável

Há um caso especial em que criar sub-embalagens pode ser necessário, que é a nova tendência de embalagens mini size (◄ descubra mais):

As mini size são versões menores de guloseimas, como biscoitos recheados e refrigerantes, criadas com o objetivo de frear o consumo por impulso.

Um bom exemplo é o biscoito Club Social, que vem num pacotão com vários pacotinhos no interior – assim você só carrega o suficiente para matar sua fome.

Porém, você já notou que as embalagens secundárias dele são tão “sofisticadas” quanto a primária? É um sinal que ela poderia ser minimizada.

Coloque sua embalagem de dieta [2]

A prática não é tão comum com alimentos, mas o setor de eletrônicos têm diversas embalagens desnecessariamente grandes (como caixas de fone que poderiam conter 2)!

É claro que há casos em que essa embalagem maior é necessária, até para proteger o produto e etc… mas muitas vezes trata-se de mera ostentação da marca.

Por via de regra, uma embalagem verde traz apenas o necessário para identificar e proteger o produto – como é o caso do alicate besouro HAPS:

Note que não há materiais nas laterais/superior da embalagem – assim como não há plásticos. Note inclusive que o alicate em si tem seu topo exposto, fazendo com que ele mesmo seja o motivador de compras (que é uma das funções da embalagem).

Como fazer uma embalagem ECO 6
Lâmpada Eco-Friendly da Green Depot por Hyunseo Yoo

Use materiais recicláveis [3]

Dica óbvia, né? Mas precisa ser dita pois ela é tão óbvia quanto negligenciada!

Parte dessa negligência vem do inconsciente coletivo, que prega não ser possível fazer uma embalagem sustentável bonita como as comuns (o que é um engano).

Hoje há inúmeros materiais recicláveis de alta qualidade, assim como há embalagens biodegradáveis (que podem ser consumidas pela natureza). Já existe até mesmo tintas especiais que não contaminam as águas!

Um bom exemplo disso é a embalagem de miojo da Ahhaproject, que não perdeu sua beleza ao fazer uma embalagem orgânica. Novamente, note que o próprio produto motiva sua compra (o que muitos fazem usando uma foto).

Ah, e aqui vai um destaque: a caixa Tetra Pak que promete ser 100% reciclável:

Veja a nova caixa Tetrak Pak 100% reciclável! 3

Embalagens com usos alternativos [4]

KFC cria embalagens com carregador de celular! 1
Caixa carregadora de celular do KFC

Que tal fazer embalagens que podem ter um intento adicional?

Pense por exemplo no velho copinho de geleia, que por algum motivo misterioso, consegue ser muito mais barato que geleias vendidas em caixas de papelão.

O tal copo é horroroso, mas ainda assim milhares de pessoas não descartam ele após o consumo. Sendo isso verdade, milhares de outros também teriam sido mantidos se ele não fosse tão feio, não é mesmo?

Em alguns casos, um pouquiiinho mais de cuidado no design da embalagem pode fazer toda a diferença para o meio-ambiente – mas se a questão ecológica não te interessa muito, o próximo tópico ilustra uma vantagem financeira da prática:

Embalagens comestíveis

As embalagens shelf-life (como a caixa recarregadora acima) são muito bacanas, mas podem se tornar meros souvenirs.

Não que isso não seja ruim (muito pelo contrário), mas bom mesmo é quando a ideia é tão inovadora que se torna um buzz mundial – como o copo comestível do KFC!

KFC cria copo comestível para salvar o meio-ambiente! 1

Uma embalagem biodegradável nem sempre é tão inofensiva (afinal, ela não se degrada em horas), mas um copo comestível simplesmente deixa de existir.

E o melhor: antes disso ele gera milhares e milhares de fotos com # para o Instagram, o que dispara o Brand Awareness de qualquer marca!

Outro ponto importante é que o copo comestível foi vendido pelo mesmo preço do anterior, já que um copo de biscoito é tão barato quanto plástico!

Todo esse impacto só foi possível porque um designer ignorou o caminho mais fácil e focou no meio-ambiente. Tivesse ele feito diferente, provavelmente teria acabado com só mais um copinho bonito que acabaria numa lata de lixo (ou numa praia).

E a boa notícia é que você também pode fazer o próximo projeto de sucesso mundial: basta pensar fora da velha caixa do design e usar o potencial que você tem de sobra para fazer a diferença! 😉


Junte-se aos mais de 1000 designers em nossa lista
* indicates required
você pode gostar também
Comentários
Show Buttons
Hide Buttons