Onde fã ativo detona bloqueio criativo!

Como aumentar sua criatividade com 12 hábitos fáceis

859

Como se tornar uma pessoa mais criativa sem nascer de novo? Não é um dom natural de meia-dúzia de designers?

Para a nossa sorte, não é; fulano pode nascer com vantagem, mas com prática qualquer um pode se destacar criativamente – assim como ocorre em esportes:

Você nunca se tornará o Neymar, mas com muito treino é plenamente possível se tornar qualquer um dos outros 10 jogadores da Seleção Brasileira.

Isso porque o cérebro é como qualquer outro músculo: se não exercitado, ele atrofia. Se exercitado minimamente, ele fica estável. Se exercitado para valer, eles crescem e ficam poderosos!

Agora chega de papo e bora descobrir como ficar mais criativo todo santo dia!

Seja um bom observador [1]

Criatividade é fazer conexões. As vezes você pergunta a um criativo como ele fez algo e ele sente até se sente mal – isso porque, no fundo, ele só conectou os pontos.

— Steve Jobs

As pessoas mais criativas são as boas observadoras, que “espiam” o mundo a sua volta e absorvem até os menores dos detalhes.

É daí que vem o sucesso da dica “ande sempre com um caderno de anotações” (ou o Evernote no smartphone), assim você pode catalogar todos pensamentos/fatos curiosos e criativos do seu dia-a-dia com precisão/detalhes que você não terá se tentar gravar de cabeça.

E tudo bem se você nunca usá-lo diretamente em um projeto: o importante é esclarecer ao seu cérebro que criatividade e inovação são partes do seu cotidiano!

Trabalhe em lugares variados [2]

Você sabia que as ideias que levaram ao sucesso de Harry Potter nasceram em um guardanapo durante uma viagem de trem?

Isso ocorre pois a variação de ambientes estimula o cérebro (coisa que a rotina não faz), o que é especialmente se combinada com a dica [1].

Além disso, um estudo do Journal of Consumer Research comprovou que trabalhar em um ambiente com barulho médio (70 dB) te deixa mais criativo do que trabalhar em um ambiente silencioso (50 dB). Paradoxal, né?!

Minha dica criativa: Vá ao Youtube e procure por “sounds creativity”, ou simule o som de uma cafeteria usando o site Coffitivity!

Eu não recomendo ouvir música pois elas sempre te tiram a atenção (mesmo que por um segundo) — o que é suficiente para arruinar um fluxo criativo.

Então se eu tivesse que recomendar uma “música para criatividade”, eu diria um instrumental ou, no máááximo, em idioma desconhecido (como o Coffitivity fez nos diálogos do coffee shop).

Faça Meditação [3]

Um estudo do Frontiers in Psychology afirma que praticantes de meditação sempre se saem melhor na hora de gerar ideias.

Além disso, a meditação se provou benéfica para a saúde, concentração, ansiedade e outros aspectos — já sendo usada hoje como terapia médica séria!

Há 50 anos atrás, se você dissesse que sai para correr, te perguntariam: “quem está te perseguindo?”

Hoje fazem o mesmo com a meditação, que um dia se tornará tão comum quanto correr.

(by especialista que não lembro)

Tanto a App Store, quanto o Play Market, estão repletas de aplicativos para meditar – e você pode fazer assim como eu, que faço só 10 minutos por dia!

Minhas dicas para meditar:

  • NÃO se preocupe em ficar com a cabeça vazia. Meditar é como fazer musculação (quanto mais você se distrai e volta a focar, mais forte sua mente fica);
  • Não precisa acreditar em qualquer misticismo, como chakra e blá blá blá;
  • E você pode fazer à qualquer hora ou posição (filas, ônibus, banho, e etc…).

Eu, por exemplo, coloco meu iPhone dentro de dois sacos plásticos e boto a meditação guiada para tocar enquanto tomo banho (me perdoa, planeta).

Procrastine moderamente [4]

Um pouco de procrastinação permite que você deixe o seu cérebro livre para achar uma solução mais tarde.

No mais, o descanso também te ajuda a encontrar (e entender) o equilíbrio entre trabalho e descanso.

— Joseph Sugarman

Mas atenção: é procrastinação com moderação!

É tipo largar o job por algumas horas ou, dependendo do prazo, por um dia ou dois — não é ficar jogando para a outra semana ou mês!

Minha dica para evitar cansaço e bloqueios criativos:

Você pode usar a técnica do Pomodoro, que consiste em X minutos de foco total intercalados com Y minutos de liberdade total. A técnica serve para qualquer atividade que requer foco; seja trabalho, estudo, ou até mesmo limpar a casa!

Ps: as pesquisas mais sólidas no assunto indicam que o ideal é 52 minutos de foco com 17 minutos de descanso — e para tal eu recomendo baixar o Tomighty (e desabilitar o Tic-tac nas configurações dele).

Leia o MÍNIMO que der [5]

Ler é cansativo e leva muito tempo, né? Na verdade, só se você quiser!

Uma maneira fácil de transformar qualquer coisa em um hábito é simplesmente fazer o mínimo do que você precisa fazer; por exemplo:

Eu já li os 5 livros de Game of Thrones, mas agora estou lendo tudo de novo – só que com uma diferença: estou lendo pelo menos uma única página por dia.

Outra diferença é que estou lendo em inglês, e curiosamente eu aprendo várias palavras novas todos os dias (e algumas são vocabulário básico).

Por que é curioso? Porque eu estudei inglês à vida inteira, com notas exxxcelentes e tendo cursado a faculdade fora do país, o que deveria me tornar o fluentão — mas ainda assim, aprendi 113 palavras em 2 semanas… e estou adorando isso!

Mas voltando ao lance da criatividade: ler histórias te ensina a ser mais empático, a ver o mundo com outros e a absorver ideias diferentes.

Minhas dicas para quem quer começar a ler:

• Não gostou do que tá lendo? Simplesmente troque de livro! O fato do GoT ser a melhor história do universo não significa que todos têm que gostar.

• Seja lá qual for o hábito que você almeja, separe um horário para ele (um em que você sempre esteja livre), e use um alarme para não esquecer.

• Leia com calma, para garantir uma absorção muito melhor do conteúdo e, consequentemente, se armar melhor criativamente.

Viaje (ou melhor, passeie) [6]

Novos sons, cheiros, linguas, sotaques, sabores e vistas disparam novas sinápses no seu cérebro.

Brent Crane

Lembra daquela época em que Pokémon Go virou febre?

Milhares de pessoas no mundo todo ficaram espantadas ao descobrir que elas não conheciam o próprio bairro (as vezes até ruas próximas de casa)!

Por isso a dica não é fazer uma viagem cara (o que seria o ideal), mas sim ir a qualquer lugar com o mero propósito de andar e observar — sem compromisso, como você faria se estivesse em Paris.

Por que? Segundo o Sage Journals, viajar aumenta sua flexibilidade e capacidade cognitiva, o que é indispensável para se tornar uma pessoa mais criativa!

Sonhe acordado [7]

Um estudo do Pubmed mostrou que devaneios nos ajudam a consolidar memórias e a melhorar nossa capacidade de decisão ao longo prazo, o que fortalece nossa paciência e enfraquece nossa impulsividade.

outro estudo de psicologia mostrou que o daydream nos ajuda a conectar “nossos eu passado e futuro“, o que é ótimo para a inspiração criativa!

Então se permita a sonhar de vez em quando, pensando em seja lá o que for que te faz feliz (só não vale o crush, pois criar expectativa é fff).

Se exercite [8]

Na semana passada eu fiz um post, sobre um estudo de Stanford, que mostra que caminhar aumenta a criatividade em 60%!

No caso, o assunto era um aumento de criatividade a curto prazo (como tomar um energético), mas o fato é que a atividade física melhora nossa saúde mental em geral, com resultados do tipo:

  • Maior produção de endorfinas;
  • Melhor humor e pensamento positivo;
  • Menor stress e ansiedade.

Preciso falar que isso tudo está intimamente ligado a criatividade, né?

Minha dica de ex-obeso é procurar desculpas para se exercitar (seguindo a regra do mínimo que der), como: subir escadas; ir aos lugares andando; não deixar tudo que você quer em cima da mesa e etc…

Outra dica é fazer/comprar uma standing desk (foto ↑) ou, melhor ainda, uma bicicleta ergométrica ou um stepper – que são bem baratos na Olx.

Aí é só se exercitar por 15 minutinhos enquanto você está no Youtube ou Netflix! 😉

Agende seus deveres [9]

A ideia do caos criativo é bacana, mas o caos não nos deixa ter paz!

Se você acorda sabendo que tem N coisas para fazer, essas coisas vão ficar lá no seu subconsciente falando “ow, ainda tem X; cuidado com o tempo e o horário…”

Quando você anota as coisas em algum canto (ou coloca um alarme), fica bem claro para o seu cérebro que ele não precisa ficar preocupado com a hora de fazer X e Y.

Arrisque-se [10]

Calma, eu não vou te falar o clichet que criatividade é pensar fora da caixa!

Estou falando de ter pequenas ousadias no dia-a-dia, como: encarar comidas e temperos que você não gosta (principalmente sem nunca ter comido); assistir algo que contraria suas crenças e assim vai.

Mas você também poderia encarar ousadias reais, como Albert Einstein que costumava velejar sem nunca ter aprendido a nadar.

Depois de ter abraçado essa dica, eu passei a me sentir uma pessoa muito mais completa e livre, e garanto o mesmo para você!

Chega de multitasking [11]

Eu amo a prática, mas a verdade é uma só: multitasking é a incrível capacidade de merdejar em várias coisas ao mesmo tempo.

E o pior: o seu cérebro entende que você não precisa ter foco em nada, o que te incentiva a ser uma pessoa mais ansiosa (no mínimo)!

Agora pensa comigo: do que adianta fazer várias coisas ao mesmo tempo se você não fará/aproveitará nenhuma direito?

A verdade é que são pouquíssimas as atividades que você pode fazer ao mesmo tempo sem prejuízos – e nenhuma delas envolve trabalho ou estudo!

E aqui vai uma dica do Leandro Karnal: ouse um dia sentar, pegar o seu fone (importante) e ouvir música — mas só focar na música e mais nada. Se você nunca fez isso, você terá uma experiência completamente diferente!

Dê uma cochilada criativa [12]

Várias pesquisas indicam um link entre uma melhora no funcionamento cerebral, e melhor atenção, em quem costumar tirar uns cochilos.

Mas atenção: é importante ser um cochilo, e não uma dormida!

A ideia é dormir até o momento que precede o sono profundo (ou seja, 20 minutos), assim você não acordará “grogue” nem prejudicará o sono noturno.

Aliás, você sabia que dormir 8 horas seguidas talvez não seja uma boa ideia?

Há relatos históricos, embasados por pesquisas científicas, de que no período pré-industrial as pessoas dormiam em 2 turnos:

O primeiro durava 4 horas, então elas levantavam por 1 ou 2 e faziam atividades diversas (como ler, capinar ou até mesmo sexo); em seguida voltavam para a cama e dormiam por outras 2-4 horas.

E pensando bem, isso faz total sentido evolutivo: 8 horas de sono significam 480 minutos de desproteção, o que na natureza é morte certa!

Aliás, será que isso não explica porquê tantas pessoas têm problemas com sono? Como se estivéssemos contrariando nossa natureza…

Minhas dicas para sono:

Sempre use um filtro de luminosidade no PC/celular antes de dormir (ou ao acordar de madrugada). Faça o mesmo com lâmpadas, deixando todas bem alaranjadas.

A luz laranja significa pôr-do-sol para o nosso ciclo circadiano, o que significa que é hora de ir dormir. Por outro, luzes claras indicam que ainda é dia, o que mantém o teu cérebro e corpo bem alertas!

• Se você não tem compromissos pela manhã, então nunca se preocupe com perda de sono. Levante-se e vá fazer o que quiser/precisar fazer (mas lembre-se, nada de luz).

Que tal usar uma luz focal para ler ou fazer uns roughs? Ou, em último caso, ligue o PC com filtro de luz no talo e vá ser feliz!

• Eu levo esse lance de luz tão a sério que a lâmpada do meu quarto é envolta por uma camisa laranja e, por 1 hora antes de dormir, não acendemos luz nenhuma.

Em úúúltimo caso, eu ligo a luz do corredor quando entro na cozinha, ou ligo a lanterna do celular sem sequer olhar para a tela!

Dica extra: acorde mais cedo

Algumas pesquisas indicam que nosso pico de criatividade se dá pela manhã — mas eu só inseri essa dica aqui para fazer um apelo a todos vocês:

Precisamos parar com esse fogo na bunda de que criativo são melhores a noite. Isso é tão ridículo quanto “designer tem que usar Mac” ou “tem que usar Corel“.

O fato é que poucas pessoas têm necessidade biológica de o trocar dia pela noite — e eu duvido que todas elas estejam cursando justamente design gráfico. Além disso, a prática faz muito mal a saúde, já que o seu corpo precisa combinar sono + escuridão total para produzir uma série de hormônios vitais.

Então largue essas bobeiras e durma às 22-23h sempre que puder; é garantido que você vai acordar melhor e sentindo que o dia rende mais!

Apelo feito, bora falar dos hábitos ruins para a criatividade e produtividade. 😉

Hábitos que prejudicam a criatividade

Perfeccionismo [1]

A gente tem que aceitar: trabalhos perfeitos são tão reais quanto ex-cornos!

Não existe job no mundo que não possa ficar melhor, portanto é necessário aceitar que o job já deu o que tinha que dar e partir para o próximo.

Esperar pela criatividade [2]

A inspiração existe, mas ela tem que te encontrar trabalhando.

Uma coisa é procrastinar a solução, outra é evitar o job porque não está sentido o toque divino (outro mito da área).

Então ou você correr atrás da solução ou jobs correrão de você.

Se comparar a terceiros [3]

Há milhões de designers melhores que a gente, e nós temos que aceitar isso (até porque esses milhões também tiveram que aceitar)!

É importante sempre tentar melhorar, mas também não se deve lamentar o impossível — como eu que queria desenhar como Da Vinci.

Eu simplesmente não consigo, e não vou me dedicar para tal. Logo desisti e fui focar em outras coisas que me pareceram mais promissoras.

Se apegar a primeira solução [4]

Se uma ideia veio com facilidade, há 90% de chance dela ser só mais uma ideia — talvez até um plágio que você sabe estar cometendo.

Boas ideias requerem tempo e dedicação, e para tirar a dúvida basta fazer um brainstorm numa folha ou no Coggle. Se você fizer um brainstorm com dedicação (daqueles que acabam junto com a folha), você se surpreenderá com as ideias!

O medo de falhar [5]

Eu não falhei mil vezes; eu descobri mil maneiras que não funcionam.

As pessoas vivem com medo de falhar, mas não há sucesso sem cometer erros — e abandonar algo por medo de fracassar já é um fracasso em si.

Sabia que eu fiz várias traduções de uma certa multinacional francesa conhecida no mundo todo? E se eu te dissesse que aprendi francês sozinho?

Eu poderia pensar “sem curso não vai dar”, mas preferi procurar os infinitos recursos gratuitos da internet e aprender tudo que sei hoje. Depois fiz o mesmo com o alemão, mas eu fiquei só no básico mesmo.

Isso porque alemão requer esforço demais, que seria tirado de outros aprendizados realmente úteis.

Minha dica final: acredite 100% em si mesmo, mas sabendo suas prioridades!

Resumão:

  1. Sempre observe o mundo ao seu redor;
  2. Varie seu local de trabalho/brainstorm;
  3. Faça meditação;
  4. Procrastine POUCO;
  5. Leia uma página de livro por dia;
  6. Saia nas ruas para observar o mundo;
  7. Sonhe acordado;
  8. Se exercite;
  9. Agende seus deveres;
  10. Faça/experimenta o que você teme/não gosta;
  11. Esqueça o multitasking;
  12. Cochile 20 minutos por dia!

Gostou do conteúdo? Não deixe de comentar e compartilhar para eu saber que você gostou e assim poder te enviar mais conteúdos como esse! 😉


Junte-se aos mais de 1000 designers em nossa lista

Presentes e Inspiração de Graça! ♥

* indicates required
você pode gostar também
Comentários
Show Buttons
Hide Buttons